Reprodução Humana e a Oncofertilidade

11 de maio, 2016

Referência em ginecologia e obstetrícia em Minas Gerais, a Rede Mater Dei de Saúde mantém a tradição oferecendo aos pacientes o que há de mais avançado em tecnologia de Reprodução assistida. Composto por uma equipe de referência na área, o Centro de Reprodução Humana possui equipamentos modernos que atendem a tratamentos de alta complexidade. 

Focado em disponibilizar as melhores condições, o Mater Dei investe em atualização, capacitação e implementação de todos os serviços oferecidos na Rede. Assim, os pacientes têm acesso à tecnologia de ponta, como congelamento de embriões, congelamentos de sêmen, óvulo ou tecido ovariano, proteção medicamentosa do ovário, entre outras.

Os tratamentos de fertilização são diversos, dividindo-os em casos de baixa e alta complexidade, e dependem de inúmeros fatores. A indicação da melhor técnica considera o motivo da infertilidade, por isso a necessidade da avaliação de um especialista na área. A coordenadora do Centro de Reprodução Humana Mater Dei, Rívia Lamaita, afirma que “a modernização dos equipamentos de reprodução assistida tem permitido melhoras progressivas nos resultados, com maior número de gestações bem sucedidas, minimizando os riscos”. 

Hoje, a infertilidade atinge homens e mulheres na mesma proporção. Porém, no caso da fertilidade feminina, o passar dos anos e a redução da quantidade e qualidade dos óvulos reduzem as chances de gravidez bem sucedida. Aos 35 anos, a mulher possui cerca de 25% de chance de engravidar, sendo que aos 40 essa taxa cai para 5%. Ainda que a mulher tenha vida sexual ativa, com ciclos menstruais regulares, a taxa de gravidez reduz bastante conforme a idade avança. 

Especialista em Reprodução Humana, Rívia Lamaita esclarece que a reprodução assistida é indicada para pessoas que não conseguiram engravidar após um ano de vida sexual ativa, sem utilizar métodos contraceptivos, para os casais de ralação homoafetiva, em casos de postergação de fertilidade por motivos sociais e, ainda, nos casos oncológicos, quando o tratamento poderá afetar a fertilidade do indivíduo. 

Oncofertilidade

Atento ao aumento da incidência do câncer na população brasileira, o Mater Dei tem investindo há 35 anos em estrutura física, tecnológica e em pessoas para o melhor atendimento aos pacientes. Recentemente inaugurado, o Hospital Integrado do Câncer foi idealizado a partir da demanda dos clientes oncológicos da Rede Mater Dei de Saúde. Só em 2015, foram mais de 25 mil atendimentos a pacientes com câncer – 59,5% mulheres e 40,5% homens – sendo cerca de cinco mil de urgência.

A preservação da fertilidade em homens e mulheres é algo muito importante que deve ser, adequadamente, abordado pelos médicos especialistas em oncologia, cirurgia oncológica, ginecologia e mastologia e discutido com o paciente sobre suas possibilidades e também seus riscos. O momento ideal para procurar a Oncofertilidade seria antes do início de um tratamento oncológico (quimioterapia ou radioterapia). “Como existe um aumento da incidência de câncer em pacientes jovens e as chances de cura estão cada vez mais altas, é muito importante analisar as consequências do tratamento e tomar as medidas necessárias para a preservação da fertilidade”, salienta Rívia Lamaita. 

Estima-se que nos últimos 25 anos, a taxa de sobrevida geral para todos os cânceres, em cinco anos, aumentou de 56% para 64% para as mulheres e que, um em cada 250 adultos jovens, será sobrevivente de um câncer tratado na infância. Portanto, esses sobreviventes é que se beneficiariam do planejamento de seu futuro reprodutivo, pois ainda terão uma boa longevidade dentro de sua capacidade reprodutiva, desejando construir uma família.

O Hospital Integrado do Câncer oferece auxílio com orientações e esclarecimentos sobre a eficiência de cada procedimento, consulta com o especialista em medicina reprodutiva e escolha do método mais adequado, que possa ser executado em tempo hábil e sem prejudicar a saúde do paciente.

IX Congresso Mineiro de Ginecologia e Obstetrícia

A coordenadora do Centro de Reprodução Humana Mater Dei, Rívia Lamaita, vai proferir palestras no IX Congresso Mineiro de Ginecologia e Obstetrícia, realizado de 12 a 14 de maio, no Minascentro (Av. Augusto de Lima, 785, Centro – Belo Horizonte/MG). Além das palestras, o trabalho “Diagnóstico genético pré-implantacional e a influência da idade materna na incidência de aneuploidias embrionárias”, de autoria da médica ficará exposto durante o Congresso.

Segue a agenda da participação da especialista em Reprodução Humana do Mater Dei, Rívia Lamaita:

11.05 – 14h as 14h20
Curso Up to date 6: Ginecologia – Reprodução Humana
Abordagem objetiva do casal infértil

11.05 (quarta-feira) – 16h as 16h20
Curso Up to date 6: Ginecologia – Reprodução Humana
PGD (indicações-técnicas-questões éticas)

12.05 (quinta-feira) – 14h as 15h30
Perdas recorrentes: propedêutica necessária e opções de tratamento
(Abordagem do casal infértil)

13.05 (sexta-feira) – 8h15 as 9h30
Mesa Redonda: Como otimizar os resultados no câncer ginecológico?
Tema: Preservação da fertilidade na mulher com câncer

13.05 (sexta-feira) – 16h30 as 18h
Mesa Redonda: Dicas e truques em climatério 2
Tema: Falência ovariana prematura – metas de tratamento

14.05 (sábado) – 10h30 as 12h
Tema: Prática x evidência em ginecologia

Fonte: Rede Mater Dei de Saúde – 11.05.2016

Informações

A Associação Nacional de Hospitais Privados Anahp é uma entidade representativa dos principais hospitais privados de excelência do país

ANAHP – São Paulo
Rua Cincinato Braga, 37,
3º e 4º andares.
Paraíso – São Paulo – SP
CEP 01333-011
+55 11 3178 7444

 

ANAHP – Brasília
SH/Sul Quadra 06, Conjunto A, Bloco E – 8º andar – Sala 801 Park
Brasília – DF
CEP 70322-915
+55 61 3039 8420

Área do associado

  • Copyright © 2019 Anahp. Todos os direitos reservados

X