Cuidados no processo de esterilização de produtos hospitalares é tema de Café da Manhã

7 de novembro, 2019

Café da Manhã promovido pela empresa parceira Cremer, na manhã de hoje (07), na sede da Associação em São Paulo, discutiu a importância da segurança no processo de esterilização de materiais utilizados em hospitais. O evento foi direcionado a enfermeiros de centro cirúrgico e integrantes da Central de Material de Esterilização (CME) de hospitais e clínicas, e contou com a presença de mais de 50 participantes.

Enfermeira assistencial do CME do Hospital Geral de Fortaleza (SESA) e consultora técnica, Teresinha Neide de Oliveira comandou a apresentação do Café da Manhã. No início do encontro, a palestrante elucidou que a segurança do paciente também deve ser função do CME, além de que os profissionais deste setor precisam estar preparados para a variabilidade de complexidades existentes no momento monitorar e armazenar os mais diversos produtos e materiais dentro de um hospital. “A segurança do paciente também é responsabilidade do CME. Os profissionais trabalham em uma variedade de configurações de atividades e nossas responsabilidades são múltiplas”, afirma.

Teresinha apresentou ao público os principais riscos causados por falhas durante o processo de esterilização, que estão associados ao reuso de um dispositivo médico, independente de uso único ou de uso múltiplo, o risco de transmissão de microrganismos infecciosos e o de alteração do desempenho do produto no momento de reuso. De maneira conceitual, esterilização diz respeito ao processo de eliminação de formas de vida microbianas (vírus, fungos, bactérias, protozoários, entre outros) que podem prejudicar a saúde. Para a enfermeira, “a segurança do processamento dos produtos para saúde consiste em importantes medidas, como o transporte dos materiais para a CME, a limpeza e desinfecção, o preparo do produto, sua esterilização e armazenagem. Para cada regra quebrada haverá uma consequência”, relata.

Outro ponto mencionado por Teresinha foi a relevância de se realizar um monitoramento durante o processo de esterilização, que consiste em uma observação sistematizada, detalhada e documentada do processo de esterilização. O objetivo é demonstrar a eficiência do produto utilizado e deve ser feito por profissionais qualificados e que estejam regulamentados a realizar esta prática. “A limpeza deve ser feita entendendo que ela é a base para garantia da esterilização. A limpeza é mais que um objetivo, é um importante desafio no processamento dos artigos”, finaliza.

Informações

A Associação Nacional de Hospitais Privados Anahp é uma entidade representativa dos principais hospitais privados de excelência do país

ANAHP – São Paulo
Rua Cincinato Braga, 37,
3º e 4º andares.
Paraíso – São Paulo – SP
CEP 01333-011
+55 11 3178 7444

 

ANAHP – Brasília
SH/Sul Quadra 06, Conjunto A, Bloco E – 8º andar – Sala 801 Park
Brasília – DF
CEP 70322-915
+55 61 3039 8420

Área do associado

  • Copyright © 2019 Anahp. Todos os direitos reservados

X