Jornada Digital: Planejamento e apoio da alta liderança é fundamental para projetos de sustentabilidade ambiental

Especialistas de grandes instituições apresentaram projetos bem-sucedidos que servem de inspiração e direcionamento para gestores da área

O segundo encontro do Anahp Ao Vivo – Jornada Digital de fevereiro, que está abordando trazendo debates sobre ESG, apresentou cases de sucesso relacionados ao tema “Iniciativas práticas de sustentabilidade ambiental: como fazer?”. Gestores dos hospitais São Marcelino Champagnat e Moinhos de Vento, além da rede de varejo Leroy Merlin, mostraram projetos inspiradores e de grande impacto positivo, com implicações ambientais e sociais.

André Hoffmann, coordenador de Facilities dos hospitais São Marcelino Champagnat e Universitário Cajuru, apresentou um programa que faz a gestão dos enxovais utilizados na operação hospitalar. Antes, ele apresentou um dado da IEMI – Inteligência de Mercado revelando que, em 2022, foram compradas 6,3 bilhões de peças de roupas, gerando um volume estimado de 192 mil toneladas de lixo têxtil.

Hoffmann contou que, no projeto realizado dos hospitais em que atua, 100% do enxoval descartado é coletado por uma instituição especializada. “Depois, todos os resíduos são higienizados, desfibrados e transformados em novos produtos, como cobertores, estopas, mantas automotivas, refis para MOP, entre outros”, disse. Grande parte desse material é doado para ONGs e instituições de caridade. Na publicação ESG nos hospitais Anahp 2023 você pode conferir o case completo.

Felipe Caravana, consultor em Impacto Positivo na Leroy Merlin, trouxe um case baseado em economia circular, que tem como objetivo promover sustentabilidade em todo o ciclo de vida dos produtos e ainda inserir os consumidores nessa jornada. “Queremos oferecer meios para que o nosso cliente seja mais sustentável em casa ou no trabalho, gastando menos água ou energia, por exemplo”, afirmou. Nesse sentido, sua equipe está trabalhando em indicadores que estarão visíveis nas embalagens de produtos da rede para mostrar o grau de sustentabilidade e orientar a compra.

Rogério Almeida da Silva, gestor ambiental do Hospital Moinhos de Vento, ressaltou a evolução que tem observado nos projetos de sustentabilidade nos últimos anos e o benefício de ter poder ter contato com tantas experiências de sucesso. “Em 2014, quando discutíamos esse assunto no setor da saúde e aqui na Anahp, era tudo muito na tentativa e erro para conseguirmos avançar. Hoje, estamos vendo a consolidação de tudo isso”, comemorou.

Silva apresentou o projeto de gestão de resíduos recicláveis do Moinhos de Vento e destacou a importância de ter um parceiro alinhado com os valores da empresa. Segundo ele, foi necessário substituir o parceiro inicial do projeto por ter identificado falhas na prestação de serviços. “Verificamos condições insalubres para os trabalhadores, armazenamento não adequado e incapacidade de cumprir as regras da LGPD”, contou. O gestor reforçou ainda a necessidade de atuar para manter a conformidade em toda a cadeia. “Muitas vezes, encaminhamos para nos livrar do material, mas é importante reconhecer que seguimos responsáveis pelos danos causados mais à frente”, alertou. O case completo você pode conferir na publicação ESG nos hospitais Anahp 2023.

Os especialistas concordaram que é indispensável ter um planejamento bem elaborado para levantar os investimentos necessários e garantir o suporte da alta liderança aos projetos. “É preciso criar uma estratégia robusta de sustentabilidade, sem isso você não consegue desenvolver a área”, avisou Caravana.

Victor Kenzo, coordenador de Sustentabilidade Ambiental do Hospital Sírio-Libanês e coordenador do Grupo de Estudos Práticas de Sustentabilidade da Anahp, finalizou destacando que os cases apresentados foram bem-sucedidos principalmente porque “não são ações ambientais isoladas, mas iniciativas integradas a uma estratégia de sustentabilidade da instituição”.

Anahp Ao Vivo – Jornadas Digitais

O debate “Iniciativas práticas de sustentabilidade ambiental: como fazer?” teve a participação de André Hoffmann, coordenador de Facilities dos hospitais São Marcelino Champagnat e Universitário Cajuru, Rogério Almeida da Silva, gestor ambiental do Hospital Moinhos de Vento, e Felipe Caravana, consultor em Impacto Positivo na Leroy Merlin. A moderação foi feita por Victor Kenzo, coordenador de Sustentabilidade Ambiental do Hospital Sírio-Libanês e coordenador do Grupo de Estudos Práticas de Sustentabilidade da Anahp. 

Confira os outros debates da Jornada Digital de fevereiro e programe-se:

– 22/02, às 10h | Como o setor saúde tem colocado em prática iniciativas sociais: cases de sucesso

– 29/02, às 10h | O impacto da governança no sucesso nas empresas

Compartilhe

Você também pode gostar: