Febre amarela: saiba mais sobre a doença e veja orientações para visitar o zoo de SP

12 de fevereiro, 2019

SÃO PAULO – Na última sexta-feira, 8, foi confirmada a infecção de um macaco bugio por febre amarela no Zoológico de São Paulo, na zona sul da capital. A vacinação de moradores do entorno foi reforçada e todos que pretendem visitar o local devem estar vacinados. Após tomar a vacina contra a doença, é necessário esperar dez dias antes de fazer o passeio.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, todo o Estado de São Paulo é área de recomendação para a vacina, que pode ser tomada a partir dos 9 meses de idade. Por causa da infecção do bugio, a Secretaria Municipal da Saúde aplicou, no último final de semana, 584 doses da vacina no entorno do zoológico.

O macaco infectado foi resgatado em novembro de 2018 no Jardim Botânico, que, assim como o zoológico, integra o Parque Estadual Fontes do Ipiranga (PEFI) – a maior área de Mata Atlântica na área urbana da Grande São Paulo. Ele fazia um tratamento no zoológico para uma fissura em um dos membros e, segundo a instituição, amostras do material biológico do animal foram encaminhadas para o Instituto Adolfo Lutz para verificar se havia infecção pelo vírus – que foi confirmada em exames. O procedimento faz parte do protocolo.

O zoológico informou que o macaco está ativo e se alimentando, mas está em ambiente isolado com tela mosquiteira e em observação. “Até o momento não apresentou sintomatologia clínica de febre amarela silvestre.”

O zoológico e o Zoo Safári não vão exigir carteira de vacinação para visitação, mas a recomendação para a população é de fazer a visita somente após ser imunizado. No Estado, a cobertura vacinal é de 70% e, na capital, é de 77,05%. O ideal é que 95% da população esteja imunizada.

“Quando começa a esquentar e tem chuva, é o momento propício para que os mosquitos comecem a aparecer. Hoje, de acordo com o nosso histórico, sabemos que o vírus já circulou em todo o Estado e estamos fazendo um chamado para que todos os paulistas, que ainda não se imunizaram, tomem a vacina”, afirma Helena Sato, diretora de imunização da Secretaria de Estado da Saúde.

Perguntas e respostas

Como ocorre a infecção pela febre amarela?

A febre amarela é uma doença viral que pode levar à morte. Ela é transmitida por mosquitos silvestres, como o Haemagogus e Sabethes. O risco de infecção se dá quando a pessoa vai para uma região de mata, onde vivem os mosquitos que podem transmitir a doença. Ao picar um macaco infectado, esses mosquitos passam a carregar o vírus, contaminando outros macacos e seres humanos ao picá-los.

A febre amarela é contagiosa?

A doença não passa de pessoa para pessoa nem dos macacos para os seres humanos. A transmissão é feita pelos mosquitos. Os macacos são considerados sentinelas, pois a infecção deles indica que há circulação do vírus em determinada região. A partir do registro de casos e mortes de macacos, são estabelecidas ações de vacinação da população.

O zoológico vai continuar funcionando?

No ano passado, o zoológico ficou quase dois meses fechado após a morte de um macaco bugio. Mas, na época, o local não era considerado área de risco e precisou ficar fechado. Agora, todo o Estado de São Paulo é área de risco para a doença e tem recomendação para vacinação. Segundo o zoológico, análises no ano passado mostraram que o vírus não tinha ampla circulação no local. “Atualmente, há grupos de primatas não humanos saudáveis vivendo nas copas das árvores do PEFI e a equipe do Zoo faz monitoramento constante desses animais que circulam próximos à instituição”, completa.

É necessário levar carteira de vacinação para visitar o Zoológico de São Paulo?

Não, o documento não será exigido, mas o visitante deve estar vacinado. A instituição colocou faixas informando que a vacina deve ser tomada dez dias antes da visita.

Quais os sintomas da febre amarela?

A doença causa, inicialmente, febre de início súbito, calafrios, dor de cabeça, dores nas costas e no corpo, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Os primeiros sintomas aparecem entre três e seis dias depois da infecção.

Como é a forma grave da doença?

Cerca de 15% dos pacientes desenvolvem a forma grave da febre amarela. Ela geralmente ocorre depois de um período breve de melhora dos primeiros sintomas da doença. A febre reaparece, há hemorragias, insuficiência hepática, insuficiência renal. Um dos sintomas é a icterícia – coloração amarelada da pele e do branco dos olhos. Alguns pacientes apresentam vômito com sangue, um sintoma da hemorragia. Entre 20% e 50% dos pacientes que desenvolvem a forma grave da doença podem morrer.

Qual é o tratamento para a doença?

Não há um tratamento específico para febre amarela. A medida mais eficaz é a vacinação, para evitar a contaminação da doença.

A vacina pode ser tomada em qualquer momento?

Sim, a imunização é oferecida na rede pública de saúde, gratuitamente, e pode ser procurada em qualquer momento do ano.

A vacina pode causar reações?

Os efeitos colaterais graves são raros. Mas 5% da população pode desenvolver sintomas como febre, dor de cabeça e dor muscular.

Quem não pode tomar a vacina contra a febre amarela?

A vacina é contraindicada para crianças menores de seis meses, pessoas imunossuprimidas e com reação alérgica a ovo. Idosos acima dos 60 anos, gestantes, pessoas portadoras do vírus HIV ou com doenças hematológicas devem consultar um médico antes de se vacinar.

Já sou vacinado. Preciso repetir a dose?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde, estudos mostram que uma só aplicação é capaz de dar imunidade por toda a vida.

Não posso tomar a vacina. Como faço para evitar a febre amarela?

As pessoas podem evitar a picada do mosquito silvestre transmissor da doença com medidas de prevenção como uso de repelentes, roupas compridas e telas de proteção nas janelas, por exemplo.

Quantos casos e mortes por febre amarela foram registrados no Estado de São Paulo?

Segundo o Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE), órgão da Secretaria de Estado da Saúde, foram registrados 32 casos autóctones, dos quais nove evoluíram para óbito neste ano. No ano passado, foram 502 casos e 175 mortes. Em 2017, foram 74 casos e 38 mortes. Na capital, 13 pessoas contraíram febre amarela, das quais seis morreram. Nenhum caso foi registrado neste ano.

Onde posso tomar a vacina contra a febre amarela?

O imunizante é oferecido em postos de vacinação de todo o Estado. Na capital, a vacina está disponível em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de segunda a sexta. Aos sábados, as doses são oferecidas nas AMA/UBS Integradas na cidade. Há ainda postos volantes em supermercados, estações de metrô e CPTM, shoppings e praças, por exemplo. A lista completa de postos volantes previstos para este mês está disponível neste link.

Fonte: Portal Terra
Data: 12/02/2019

Informações

A Associação Nacional de Hospitais Privados Anahp é uma entidade representativa dos principais hospitais privados de excelência do país

ANAHP – São Paulo
Rua Cincinato Braga, 37,
3º e 4º andares.
Paraíso – São Paulo – SP
CEP 01333-011
+55 11 3178 7444

 

ANAHP – Brasília
SH/Sul Quadra 06, Conjunto A, Bloco E – 8º andar – Sala 801 Park
Brasília – DF
CEP 70322-915
+55 61 3039 8420

Área do associado

  • Copyright © 2019 Anahp. Todos os direitos reservados

X