O desafio dos custos continua

6 de julho, 2018

A Holanda conseguiu desenvolver ao longo das últimas décadas um sistema universal de saúde, que atende amplamente os cidadãos, qualquer que seja a faixa de renda. De agora em diante, no entanto, o desafio do país é outro: mesmo sofrendo com as pressões do envelhecimento da população, manter os custos sob controle num cenário de aumento de preços dos medicamentos e de novas tecnologias para a saúde.

A opinião é do médico holandês Nick Guldemond, professor na Escola de Política de Saúde e Gestão da Universidade Erasmus, em Roterdã. “De maneira geral, o sistema é sustentável. Mas o país precisa conter o aumento desses custos”, afirma. Considerado uma autoridade em sistemas de saúde e tecnologia, Guldemond é especialista na comissão europeia para estudos sobre políticas na área de saúde digital. A seguir, a entrevista que ele concedeu a EXAME.

Por que o sistema de saúde holandês é considerado o melhor da Europa?

O país oferece o melhor cuidado de saúde a qualquer paciente, seja ele um milionário ou um sem-teto. Há uma satisfação do cidadão porque é fácil ingressar no sistema, bastando comprar um seguro. Isso dá acesso ao atendimento por um médico de família, que sabe do contexto social do cidadão, acompanha sua saúde e presta orientações.

Como esse sistema foi formulado?

Até 2006, ele era parecido com o sistema brasileiro: os mais pobres tinham atendimento público e os mais ricos seguros privados. Mas o governo tornou obrigatório que todas as pessoas contratassem um seguro, ajudando os mais pobres, e as seguradoras foram incentivadas a oferecer o melhor serviço pelo menor preço, num mercado altamente concorrido. A implicação disso para o paciente é que ele tem liberdade de escolher o seguro e o médico.

De maneira geral, o sistema holandês é caro?

O país desembolsa por ano cerca de 10% do produto interno bruto com a saúde, metade arcada pelo cidadão e a outra pelo governo. Se considerar o custo dividido por cidadão, paga-se em torno de 5 000 euros por ano. É muito dinheiro, mas de maneira geral é um sistema sustentável.

Quais os desafios para o sistema de saúde holandês?

A Holanda precisa conter o aumento dos custos. Antes, o maior problema que pressionava os gastos com saúde era o envelhecimento da população, mas agora há também a elevação do preço dos medicamentos e o custo maior das novas tecnologias.

Como essa questão está sendo resolvida?

A Holanda firma alianças com outros governos para ganhar poder de barganha com a indústria farmacêutica na compra de remédios. E faz avaliações constantes que permitem dizer se uma inovação realmente é eficiente em tratamento e viável em custo.

Esse sistema pode ser replicado no Brasil?

Há elementos que podem ser, sim, replicados, como injetar muita competição no mercado de saúde, algo que resulta em mais eficiência.

Fonte: Exame.com
Data: 06/07/2018

Informações

A Associação Nacional de Hospitais Privados Anahp é uma entidade representativa dos principais hospitais privados de excelência do país

ANAHP – São Paulo
Rua Cincinato Braga, 37,
3º e 4º andares.
Paraíso – São Paulo – SP
CEP 01333-011
+55 11 3178 7444

 

ANAHP – Brasília
SH/Sul Quadra 06, Conjunto A, Bloco E – 8º andar – Sala 801 Park
Brasília – DF
CEP 70322-915
+55 61 3039 8420

Área do associado

  • Copyright © 2019 Anahp. Todos os direitos reservados

X