Gripe, diabetes e até medicamentos podem provocar surdez súbita

19 de julho, 2019

Problema se caracteriza pela perda da capacidade auditiva de apenas um ouvido em até 72 dias, sendo que de 50% a 60% dos casos têm recuperação.

Alguns problemas de saúde podem provocar surdez súbita, aquela em que o indivíduo perde a capacidade auditiva de um dos ouvidos em menos de 72 horas.

Entre as causas mais comuns estão alguns tipos de infecções virais ou bacterianas, como caxumba, sarampo, catapora, rubéola, herpes, meningites, entre outras, explica a otorrinolaringologista Jeanne Oiticica, professora colaboradora da disciplina de otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

“São vírus citotóxicos, ou seja, tóxicos para as células da audição e podem atacar o nervo da audição.” Até mesmo uma gripe pode levar à surdez súbita.

Pessoas com problemas cardiovasculares podem ter hemorragia no ouvido, levando, em alguns casos, a uma perda permanente da audição.

“Você pode ter uma hemorragia do ouvido e ficar com a surdez repentina, mais comum em pacientes com comorbidades cardiovasculares, como diabetes, pressão alta, colesterol alto. Em um sangramento agudo, é um vaso dentro do ouvido que se rompe, sendo mais difícil o paciente recuperar a audição.”

Saiba mais: Surdez ‘seletiva’? A rara doença que faz com que as pessoas parem de escutar vozes masculinas
A médica, que também é chefe do Ambulatório de Surdez Súbita do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, acrescenta que pessoas com diabetes estão sujeitas a perda auditiva.

“Dentro do ouvido, as células da audição são banhadas por líquidos. Se aumenta a pressão, essas células sofrem. Existe uma concentração de sódio e potássio para o equilíbrio delas. A variação de açúcar ou níveis de insulina no sangue desregula esse equilíbrio.”

Também é possível que alguns medicamentos (quimioterapia, diuréticos, substâncias usadas para tratar doenças reumáticas, etc.) possam ter como efeito colateral alterações no ouvido, levando à surdez repentina.

Tumores dentro do ouvido, doença de Lyme (transmitida por carrapatos infectados) e lúpus são outros problemas apontados por Jeanne que possuem relação com alguns casos de perda auditiva.

Mas alguns indivíduos chegam ao médico e não têm um diagnóstico.

“São casos idiopáticos [de causa desconhecida]. A gente faz toda a investigação de anticorpos, sorologia, complexo imunomediados e não detecta nada. É uma incógnita, mas acontece e pode ter relação com o estresse.”

A otorrinolaringologista explica que o Ambulatório de Surdez Súbita atende cerca de 40 pacientes com perda repentina da audição por ano. “É raro, mas é possível acontecer”, diz.

O sucesso do tratamento e eventual recuperação da capacidade auditiva vai depender do diagnóstico, mas, mais do que isso, da rapidez em que o paciente procurar atendimento médico.

“O único fator que a gente sabe que tem a ver com a melhora é a precocidade do tratamento. Quanto mais precoce a gente tratar, melhores os resultados. Em 50% a 60% dos casos o paciente costuma recuperar [a audição]”.

Fonte: R7
Data:19/07/2019

Informações

A Associação Nacional de Hospitais Privados Anahp é uma entidade representativa dos principais hospitais privados de excelência do país

ANAHP – São Paulo
Rua Cincinato Braga, 37,
3º e 4º andares.
Paraíso – São Paulo – SP
CEP 01333-011
+55 11 3178 7444

 

ANAHP – Brasília
SH/Sul Quadra 06, Conjunto A, Bloco E – 8º andar – Sala 801 Park
Brasília – DF
CEP 70322-915
+55 61 3039 8420

Área do associado

  • Copyright © 2019 Anahp. Todos os direitos reservados

X